RSS

Resenha: As Intermitências da Morte

11 fev

José Saramago

As Intermitências da Morte conta a História de uma região da Terra em que as pessoas param de morrer. Inicialmente, assim como as pessoas no livro, você deve ter pensado “puxa! Imortalidade, tudo o que sempre quis”, mas é aí que você se engana.

O livro é desenvolvido sobre o questionamento de até que ponto a imortalidade é uma coisa boa. Como era de se prever as pessoas dessa cidade comemoram e fazem festa até o momento em que se defrontam com vários problemas: todos os doentes terminais sofrerão pela eternidade, o gigantesco boom demográfico e várias outras questões levantadas pelo autor.

Não querendo expor nada alem desse 1% da história que lhe apresentei acima, dou continuidade a resenha dizendo apenas mais o seguinte: com o desenrolar do livro e a personificação da morte percebemos toda a metáfora que se esconde por detrás das palavras do autor. Li este livro como uma grande poesia de 207 páginas que esconde a verdadeira história por detrás da vestimenta de narrativa aparentemente comum.

“A morte olha o violoncelista. Por princípio, não distingue entre gente feia e gente bonita, se calhar porque, não conhecendo de si mesmo senão a caveira que é, tem a irresistível tendência de fazer aparecer a nossa desenhada por baixo da cara que nos serve de mostruário. No fundo, no fundo, manda a verdade que se diga, aos olhos da morte todos somos da mesma maneira feios, inclusive no tempo que havíamos sido rainhas de beleza ou reis do que masculinamente lhe equivalia.”

     José Saramago é conhecido pela sua escrita singular: seus diálogos são incorporados no corpo do texto, capítulos com raras quebras de parágrafo além de que as edições brasileiras manterem a ortografia de Portugal. Por tudo isso, o início da leitura pode ser um pouco difícil, porém quando se encontra o ritmo da escrita do autor a leitura flui de forma limpa, transportando-nos para a realidade imaginada por Saramago. Um dos autores que mais gostei de ter conhecido no ano de 2012.

     Infelizmente ainda não pude ler todas as obras do autor, mas As Intermitências da Morte e Ensaio Sobre a Cegueira são duas das minhas principais indicações literárias. José Saramago nos induz a mergulhar em uma fantasia que, muitas vezes, não é tão fantasiosa quanto aparenta ser. LEITURA OBRIGATÓRIA.

About these ads
 
7 Comentários

Publicado por em 11 de fevereiro de 2013 em Sem categoria

 

7 Respostas para “Resenha: As Intermitências da Morte

  1. Lulu

    12 de fevereiro de 2013 at 20:15

    Saramago *_*

    As Intermitências da Morte é um romance interessantíssimo e sem rodeios. Saramago mostra, de uma forma tão real, como seria se a Morte se ausentasse. Milagre?

    Spoiler: acho que seria menos doloroso para nossos familiares, amigos e animais se passássemos a receber o envelope violeta. Teríamos tempo para nos despedir das pessoas queridas, fazer algo que gostamos e encontrar um novo lar para o cachorro.

     
    • denerb

      12 de fevereiro de 2013 at 20:49

      Interessante seu ponto de vista, mas achou que isso também geraria caos. ;-)
      Obrigado por sempre aparecer por aqui.

       
      • Lulu

        14 de fevereiro de 2013 at 16:14

        Não me recordo bem dos detalhes do livro, mas pelo pouco (pouquíssimo, rs) que me lembro: as pessoas que receberam o envelope violeta tiveram reações variadas, né?! Então, acho que não seria o caos completo. Abraços, Dener! =]

         
  2. Epitácio Carvalho

    13 de fevereiro de 2013 at 1:28

    Olá, Dener! muito feliz por vc está incluindo no seu reportório literário as obras do magnífico autor da Língua Portuguesa, único autor deste idioma a ganhar o prêmio nobel de literatura. Se bem que tudo que vc já postou no seu canal é de muito bom gosto. Mas os livros do Saramago traz um puta refinamento pro seu blog/vlog. Adorei vc ter comparado a prosa do Saramago com uma poesia. Aliás, muitos dos livros dele tem esse tom poético, dado o refinamento e abordagem estilística do autor, que são únicos. Amei relembrar a sensação boa que tive ao ler esse livro.

     
    • denerb

      13 de fevereiro de 2013 at 1:35

      J li as intermitncias da morte e ensaio sobre a cegueira (que por sinal o primeiro vdeo do canal). adorei os sido e estou com o homem duplicado na fila para ser lido. Jos saramago e Mia couto foram dois escritores que eu adorei ter conhecido em 2012.

       
  3. ana paula

    3 de abril de 2013 at 17:35

    Nuss… seu vídeo me ajudou muito em meu seminário!!!

     
    • denerb

      13 de abril de 2013 at 16:42

      Como foi seu seminário?? Gostaria de fazer um seminário com um teve desses? foi para que aula?

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Isaac Sabe!

Seja o Newton, o Asimov ou o seu Isaac da esquina.. ele sabe!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: