RSS

FÓRUM ENTRE PONTOS E VÍRGULAS: O COLECIONADOR

08 mar

             Lançado inicialmente em 1926, O Colecionador, escrito pelo autor inglês John Fowles, conta a história de Frederick Clegg, funcionário público que repentinamente torna-se dono de uma grande quantia em dinheiro. A narrativa inicia quando Clegg resolve sequestrar Miranda, garota jovem que vive nas proximidades e por quem nutre paixão platônica, trancafiando-a no porão de uma casa comprada na periferia da região.

       O livro divide-se em duas partes, ambas escritas em primeira pessoa: a primeira, expõe os acontecimentos sob a narrativa de Clegg, o qual se mostra uma pessoa complexa e misteriosa; e posteriormente vemos os acontecimentos pelo ponto de vista de Miranda, de caráter forte e opiniões definidas.

           O livro se desenrola com um manto de mistério e um quê de sombrio. Friederick Clegg é o principal responsável por essa impressão. Tal personagem se faz conhecer como alguém fechado, anti social, impulsivo e incomum relação com sua sexualidade, porém, Clegg não é violento ou agressivo em nenhum momento do livro o que o torna um personagem ainda mais misterioso e contraditório.

          Acredito que essa obra vai muito além de um romance psicológico, por trás da aflição e perturbação, o livro trás uma análise muito interessante do ser humano. Analisa até que ponto o homem age sob o controle do próprio egoísmo e como o dinheiro e o poder podem trazer a tona o que de pior existe no homem, ao mesmo tempo em que explora a questão das diferenças de classes sociais e a segregação gerada nesse meio.

          Outro ponto que chamou minha atenção foi a análise do autor referente ao péssimo hábito do homem de julgar terceiros antes de olhar a sí mesmo. Miranda apresenta-se como alguém esclarecida, estudante em uma escola de arte, conhecedora de música, etc e, devido a isso, acredita possuir o direito de julgar e condenar os outros que, segundo a sua concepção, tem menos conhecimento que ela, porém, Mirado acaba mostrando-se alguém tão leiga quanto qualquer outra pessoa.

         Pelo fato do livro possuir dois pontos de vista ela nos mostra diferentes facetas dos personagens principais. O livro inicia com um tom de irrealidade devido ao comportamento dos personagens que não combina com a situação de sequestro relatada. Porém, ao se trocarem os narradores, podemos mergulhar no íntimo de cada um e comprovarmos que o exterior nem sempre reflete o que se passa por dentro de cada um.

         Escrito com uma narrativa fácil, o livro consegue sem dificuldade sequestrá-lo de seu ambiente e transportá-lo para o calabouço de Miranda. Uma vez iniciado o livro nos vemos presos pela sua narrativa, pois esse é o tipo de romance que te intriga por não saber em momento algum como a história pode se desenrolar. Totalmente intrigante, sombrio e pertubador. Esse livro vai mexer com você. Recomedadíssimo.

 
2 Comentários

Publicado por em 8 de março de 2013 em Sem categoria

 

2 Respostas para “FÓRUM ENTRE PONTOS E VÍRGULAS: O COLECIONADOR

  1. Epitácio Carvalho

    8 de março de 2013 at 21:19

    Puxa, Dener, o enredo parece tão interessante. Fiquei já com muita vontade de ler esse livro. Adoro romance meio psicológico e personagens misteriosos. Além do mais, esse geração de escritores ingleses da década de vinte é maravilhosa. Muito valeu pela resenha mais uma vez. Grande abraço!

     
    • denerb

      9 de março de 2013 at 17:29

      Já que voce gostou desse, te indigo O Jogo do Anjo do Carlos Ruíz Zafón! Adoro Zafón, então sou suspeito para falar dele, mas, se puder, dá uma conferida!

       

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Isaac Sabe!

Seja o Newton, o Asimov ou o seu Isaac da esquina.. ele sabe!

%d blogueiros gostam disto: