RSS

AS AVENTURA DE PI

01 maio

Yann Martel

Olá pessoal, Gostaria de vir aqui falar um pouquinho sobre esse livro que tem gerado tanta polêmica atualmente. Antes de mais nada eu quero dizer que não li Max e os Felinos do Moacyr Scliar (Ao qual Martel agradece pela ”centelha de vida”) e não venho com essa resenha fazer nenhum tipo de comentário ou explorar o assunto de plágio ok? Venho aqui unicamente compartilhar uma história que mexeu comigo de uma maneira incrível!

O primeiro contato que tive com essa história foi no cinema. Fui assistir ao filme com uma amiga e quando saímos da sala minha amiga perguntou se estava tudo bem comigo. A história desse livro pegou-me tão desprevenido que fiz o percurso todo do cinema até em casa calado, assimilando tudo que acompanhei na tela cinema. Posso dizer logo de cara que a adaptação cinematográfica ficou muito boa (apesar de terem sido cortadas algumas partes das quais gostei)

O livro nos conta a história de Pi, Um jovem de 16 anos, membro de uma família indiana e dona de um zoológico, que inicia a narrativa nos apresentado todos os aspectos de sua vida entre os animais e a sua relação com a religiosidade, a qual é bastante peculiar.

O drama do enredo tem início quando o navio em que Piscine, sua família e seus animais se encontram, afunda e Pi passa a lutar por sua sobrevivência à deriva no oceano tendo como única companhia um Tigre de bengala.  Passamos então a fazer companhia a esses personagens em suas aventuras e dificuldades até sua salvação.

A história se apresenta como a transcrição da narrativa de Pi pelo seu “ouvinte”. Dividido em três partes, e escritos de forma simples e objetiva a obra é daquelas que te rapta do sofá e te põe sentado dentro do bote a fazer companhia para os personagens. A narrativa não possui um ritmo intenso, mas mantém uma velocidade confortável e constante que nos mantém presos à leitura (apesar de achar que o livro poderia ser mais sucinto em alguns pontos).

Outra coisa que gostei muito foi do impacto brusco ao qual nos deparamos durante a leitura. Ao longo de todo o livro nos vamos acostumando com a narrativa tranquila e constante de sua rotina, seja com a sua família no início do livro, ou o período de sua sobrevivência no mar, que quando percebemos a realidade do que que estamos lendo, somos pegos com o coração na mão.

É incontestável a beleza da história que Yann Martel nos conta e este livro me fez lembrar do por que amo ler: adoro quando o livro fala de maneira tão forte com você a ponto de ser necessário parar durante um tempo e absorver sua história. Adoro como um livro parece ser dono de uma alma tão palpável quanto a sua própria e como mexe de modo tão emocionante com alguém, mesmo sabendo que a história não passa de ficção. As Aventuras de Pi, apesar de todas as controvérsias, entra, com certeza, na minha lista de livros preferidos.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 1 de maio de 2013 em Resenha

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Isaac Sabe!

Seja o Newton, o Asimov ou o seu Isaac da esquina.. ele sabe!

%d blogueiros gostam disto: